Portal do Governo Brasileiro
imagem do fale com a SAE
Brasília,

APRESENTADORA SANDRA ANNENBERG: Na última década aumentou o número de brasileiros com mais escolaridade, com carteira assinada e também com negócio próprio. Com isso, 37 milhões de pessoas saíram da pobreza e entraram para a classe média. Os dados foram divulgados hoje, em São Paulo.

REPÓRTER: Quarenta e sete milhões de brasileiros conquistaram uma carteira de trabalho na última década. O dado está no novo estudo do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada, divulgado hoje, em São Paulo. A pesquisa do IPEA mostrou ainda que entre 2001 e 2011 foram criados 16 milhões de postos de trabalho no Brasil. Com isso, a taxa de desemprego atingiu o seu menos valor histórico, passou de 12,3% em 2003, pra 5,5% em 2012. A remuneração média dos trabalhadores brasileiros também cresceu, 24%. O estudo também constatou que a rotatividade nos postos de trabalho aumentou.

MIN.-CHEFE SEC. DE ASSUNTOS ESTRATÉGICOS/MARCELO NERI: O emprego formal no Brasil, ele dura pouco. 82% dos trabalhadores entre um e dois salários mínimos muda de emprego a cada 12 meses. Isso porque, muitas vezes o trabalhador, ele se demite ou pede pra ser demitido, na verdade, pra receber o seguro desemprego, pegar o FGTS. Então aí chegamos a uma situação aonde o mercado de trabalho está nessa situação desejável de pleno emprego, e onde as despesas de seguro desemprego nunca foram tão altas.

REPÓRTER: O estudo mostrou que na última década surgiu uma nova classe média no país, formada por famílias com renda entre R$ 1,5 mil e R$ 7 mil. Os brasileiros que compõe essa classe já somam mais da metade de população, e já respondem por 62% dos empregados com carteira assinada. Segundo o estudo do IPEA, 37 milhões de brasileiros saíram da pobreza no período de dez anos, no período de 10 anos. Enquanto a renda per capita mensal dos trabalhadores brasileiros cresceu 32% a da nova classe média cresceu mais, 50%, passou de R$ 382 mensais por pessoa, para R$ 576. O trabalhador brasileiro também está estudando mais, os dados do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada, mostraram que a força de trabalho do Brasil ficou 27% mais escolarizada. O numero de anos de estudo passou de 6,7 em 2001 para 8,5 anos em 2011, mas o nível de escolaridade permanece limitado acima do fundamental completo.

MIN.-CHEFE SEC. DE ASSUNTOS ESTRATÉGICOS/MARCELO NERI: O fato de ter trabalhadores mais ocupados e ocupações melhores, muita gente saiu do emprego sem carteira para o emprego com carteira, aumentou salário de todos, especialmente até no sem carteira e isso levou a esse aumento dessa chamada nova classe média.

REPÓRTER: O estudo do IPEA constatou que aumentou número de empreendedores individuais nos últimos três anos, eram 45 mil em 2009 e hoje são 2,7 milhões. Quando decidiu abrir uma loja virtual de camisetas, José Luiz quis fazer tudo direitinho, o primeiro passo foi registrar a empresa.

EMPREENDEDOR/JOSÉ LUIZ TAVARES GARCIA: Primeiro para a facilidade, e segundo, porque eu não estava abrindo isso como hobby ou como uma tentativa para ver o que vai dar. É a minha empresa, eu larguei o meu emprego para abrir uma empresa, então, eu não ia desistir.

APRESENTADORA SANDRA ANNENBERG: Na página do Jornal Hoje na internet você tem as informações de como abrir a sua empresa.

Assista a reportagem: http://globotv.globo.com/rede-globo/jornal-hoje/t/edicoes/v/cresce-numero-de-brasileiros-com-mais-escolaridade-e-carteira-assinada/2736663/




Fechado para comentários.